Alimentação saudável: crianças podem ser vegetarianas?

Alimentação saudável: crianças podem ser vegetarianas?

Esse é um tema bastante controverso. Muitos acreditam firmemente que a alimentação saudável precisa ter proteína animal obrigatoriamente. Quando o assunto é vegetarianismo, e se crianças podem ser vegetarianas, a maioria não acredita que uma dieta vegetariana possa prover todos os nutrientes e proteína em quantidades adequadas.

Se as crianças podem ser vegetarianas ou não é um tópico muito importante. O melhor presente que você pode dar para seu filho é seu patrimônio biológico. Isso começa desde a amamentação até tudo que ele come enquanto não pode escolher sozinho.

Cabem aos pais ensinar valores como respeito, educação e a maneira mais saudável de se alimentar também. Geralmente as crianças sabem o que devem comer e optam por escolhas saudáveis, se esses alimentos estão disponíveis. Muitas crianças recusam a carne, por exemplo, e isso deve ser absolutamente respeitado.

Dieta vegetariana

Pesquisadores afirmam, inclusive, que crianças com menos de 3 anos não devem consumir carne porque ainda não são capazes de digerir esse produto. Além do mais, hoje temos uma carne contaminada que não deveria ser alimento para crianças, pois contém muitos hormônios e antibióticos, o que afeta diretamente a saúde dos pequenos.

A alimentação das crianças, principalmente dos 0 aos 7 anos, vai definir boa parte da sua flora bacteriana ou seu microbioma. Por isso, é essencial que ela seja protegida de agentes nocivos nesse período, preservando sua flora intestinal e construindo saúde.

Eu tenho a sorte de conhecer várias crianças vegetarianas e veganas plenamente saudáveis e felizes. As provas vivas de que crianças podem ser vegetarianas.

Dentro do vegetarianismo existem algumas variações. Os ovo-lacto-vegetarianos, por exemplo, apesar de não consumirem carnes, consomem laticínios e ovos. Os vegetarianos estritos não consomem nada de origem animal no âmbito da alimentação. Já os veganos não consomem nada de origem animal, incluindo produtos como couro ou até mesmo cosméticos que tenham sido testados em animais.

No Brasil, e no mundo, existe um excesso de consumo de carne vermelha. Esse excesso pode realmente  trazer danos à saúde. Já existem vários países, como a Alemanha, por exemplo, que tem como diretriz de saúde que o consumo de carne seja realizado nos finais de semana e em pequenas quantidades. Isso tem a ver com a saúde individual e planetária, pois o consumo excessivo de carne causa degradação ambiental.

Vida sem carne

Ao contrário do que se pensa, uma dieta sem carne é a favor da saúde das crianças e pode protegê-las, no futuro, de diversas doenças como obesidade, diabetes, hipertensão, alguns tipos de câncer, dentre outras. Mas é preciso sempre lembrar do princípio da individualidade. Mesmo que você seja vegetariano, não significa que o seu filho deverá ser também, afinal, são dois corpos distintos e que percebem de maneira diferente os alimentos.

Nada na ciência da nutrição é absoluto. Pode ser que sua criança anseie e tenha necessidade de consumir carne. Se assim for, escolha uma carne de qualidade, vinda de animais criados soltos, sem administração de hormônios e antibióticos. E também controle a quantidade, não precisa ser todo dia – alterne com um bom prato de feijão.

Se você, que é mãe/pai, ou o próprio filho, optar por uma rotina alimentar que restrinja algum alimento, como é o caso do vegetarianismo ou veganismo, é preciso ficar atento para que a dieta seja densamente nutritiva. Muitos vegetarianos são anêmicos e tem deficiências nutricionais, não porque não comem carne, mas porque não comem a quantidade ideal de vegetais, feijões, castanhas e sementes. A base da alimentação vegetariana para muitos é constituída por massas, pães, lácteos e bolos, e isso causa de fato um estado de pobreza nutricional.  

 

Crianças podem ser vegetarianas

É sempre muito importante frisar que as crianças estão em fase de crescimento, ou seja, o organismo precisa de nutrientes em abundância, assim como devem ser protegidas de agentes intoxicantes – e carne industrializada é um agente intoxicante.

Para que a dieta vegetariana seja completa, busque pelos vegetais verdes-escuros e densamente nutritivos, como brócolis, couve, rúcula, agrião. Tenha sempre um arco-íris no prato, assim você garante o acesso a várias vitaminas e nutrientes. E use e abuse de feijões – não pode faltar no prato das crianças. No artigo Proteína Essencial eu falo sobre as fontes de proteínas e sua importância na construção da saúde corporal, vale a leitura.

Resumindo, se tiverem acesso a feijões, vegetais, castanhas, sementes e frutas, não haverá deficiência nutricional, ou seja, as crianças podem ser vegetarianas. Os pais, que são os responsáveis pela alimentação das crianças, devem estar bem informados sobre as necessidades nutricionais de cada fase, conhecer um pouco sobre alimentação e planejar adequadamente a quantidade nutricional. Caso você tenha dificuldade com isso, vale a pena procurar uma nutricionista infantil e pedir ajuda.

Caso tenha dúvidas dúvidas, estou aqui para te ajudar. Continue acompanhando meu blog e redes sociais. Além de informações, você também pode aprender diversas receitas e receber várias dicas para ter mais qualidade de vida e bem-estar!

 

Até a próxima!

Abraços

Julia Murça