Como mudar hábitos alimentares cultivados há anos?

Escrito por Julia Murça

20 de agosto de 2018

VOCÊ ESTÁ CERTO

Acredite que você pode efetivar a mudança e você estará certo. Acredite que você não consegue, e você também estará certo.

“Você está a uma decisão da pessoa que você quer ser.” Tony Robbins.

A verdade é que muita gente já sabe o que deve fazer para ser saudável. A maioria de nós, sabe quais alimentos devem evitados, e quais devemos incluir na nossa vida diária. Porém, por algum motivo, a maioria de nós não consegue efetivar a mudança.

De fato, se fosse fácil, todo mundo tinha saúde, era magro e tomava suco verde todo dia!

Intrigada com essa questão, comecei a estudar. Descobri algo que fez muito sentido para mim e espero que faça sentido para você.

SISTEMA DE CRENÇAS

Temos um sistema de crenças. Ou seja, acreditamos em algo, geralmente porque fomos ensinados a acreditar naquilo ou porque passamos por alguma experiência que nos fez aprender algo de uma determinada forma.

Essas crenças que acumulamos ao longo da vida, podem ser conscientes ou inconscientes. Geralmente, as que mais exercem poder sobre nós moram no nosso inconsciente.
Por isso, sempre gosto de lembrar a importância de se autoconhecer no processo para se tornar mais saudável. É imprescindível que você conheça o seu poder e suas limitações, para poder tomar as rédeas da sua vida e fazer acontecer o que você quer para você.

Dessa forma, muitas pessoas querem se alimentar de forma saudável, querem praticar atividade física, meditar, cuidar melhor das suas relações. Porém quase nunca conseguem efetivar a mudança para os novos hábitos de forma consistente.

 

AUTO SABOTAGEM

Por exemplo: Uma pessoa dá muita importância para as amizades que construiu no trabalho durante anos. Ela é querida e apreciada no trabalho, faz parte da turma. Essas relações foram desenvolvidas com base em alguns pontos em comum, como:

  • Reclamação sobre excesso de trabalho
  • Reuniões pós-trabalho que envolvem álcool e má-alimentação, o que levou todos a um grau de sobrepeso
  • Compreensão mútua e incentivo de que “é assim mesmo”, quanto a deixar a família de lado em nome do trabalho

Mas, num determinado momento, essa pessoa decide dar uma guinada na sua vida pessoal e profissional e começa a se cuidar mais.

Primeiro ela para de ir às reuniões. Começa a se alimentar bem e praticar exercício de forma regular, e consequentemente, começa a perder peso, se sentir mais disposta e alegre.
Depois ela começa a dizer alguns “nãos” no trabalho e, consequentemente, passa a se dedicar mais à família e, com isso, para de reclamar do excesso de trabalho.
Todas as mudanças que ela começa a efetivar em sua vida trazem inúmeros benefícios, e isso faz com que ela não tenha mais tantos pontos comuns com sua turma do trabalho.

Essa pessoa está indo em direção aos seus objetivos e já está colhendo os frutos de suas novas ações positivas.

PERDENDO O RUMO

Porém, num determinado momento, os colegas de trabalho começam a julgá-la e cortá-la do grupo. E ela sente que não mais pertencente a essa pequena comunidade.

De repente, ela começa a se sabotar e volta a comer inadequadamente, aceita o convite para o happy hour e inicia um novo ciclo de excesso de trabalho, voltando aos antigos padrões.

Isso pode ter acontecido porque em algum lugar dentro dela, existe uma crença limitante de que  se ela mudar seus hábitos e for mais saudável, não terá mais amigos.

Ou ainda, pode haver dentro dela uma crença de que é mais importante ter amigos no trabalho do que ter uma vida pessoal mais harmoniosa.

Tudo isso é bem obscuro e é preciso uma auto investigação profunda para que a pessoa possa ver essas crenças e remover os obstáculos.

Mas se a pessoa não investiga a causa da sua falta de sucesso, ela simplesmente aceita que ela não consegue mudar, por mais que ela tente.

Porém, quando você compreende quais são as âncoras que te seguram, ou seja, quais as crenças que impedem que você siga o caminho que escolheu para si, você pode enfim, deixá-las ir.

ENTENDA SUAS CRENÇAS LIMITANTES E SE LIVRE DELAS

O corpo que você merece e a vida incrível que você pode ter está, basicamente, na mudança de hábitos alimentares pouco saudáveis e na inclusão de movimento diário em sua vida.

Mas a chave para a mudança desses comportamentos está em transformar a fonte dos hábitos – sua mente!

Existem estratégias para alcançar e manter seu peso corporal ideal e um estilo de vida saudável, superando de vez a relação doentia com a comida.

Essa mudança não tem a ver com uma dieta rigorosa, nem com soluções rápidas, trata-se de recondicionar a sua mentalidade para obter resultados sustentáveis e alcançar saúde e vitalidade duradouras.

RESSIGNIFICANDO O PRAZER

Um passo importante para essa mudança de mentalidade é ressignificar o que é prazer para você.  

Hoje em dia sofremos um problema sério em relação ao nosso parâmetro de prazer. Consideramos prazeroso nos alimentar de uma forma que não é boa para o nosso corpo, mente e emoções.

De alguma forma, nos afastamos do alimento e da natureza. E infelizmente, nos acostumamos a ter prazer com alimentos e produtos alimentícios destrutivos.

QUE PARTE AINDA QUER SOFRER?

Que parte de você ainda quer sofrer? Que parte de você ainda quer se machucar? Que parte de você ainda atrela prazer a coisas negativas?

Essa resposta está dentro de você e só depende de você percorrer esta jornada de autoconhecimento.

Mas o que eu posso garantir é o seguinte: depois que você iniciar esse caminho de busca pela saúde e pelo auto-conhecimento, você acessa um caminho sem volta.

Quando você aprende o que te faz bem de verdade, você não quer mais pagar o preço caro de comer o que te faz mal.

Você pára de buscar o prazer imediato e busca o prazer duradouro, o verdadeiro bem estar.

Prazer é viver a vida com energia plena, com saúde perfeita, sem doenças, sem mal estar.

Prazer é envelhecer  de forma saudável, aproveitando um momento tão lindo da nossa vida, cheio de experiência e sabedoria.

Prazer é poder praticar atividades físicas diárias sem dificuldade. É se relacionar de forma harmônica com todos os seres: humanos, animais e com a natureza.

E poder sentir prazer com uma alimentação natural sim. Já foi se o tempo que o mito de que comida natural era sem graça e insossa.

ATITUDES PRÁTICAS

Habitamos um corpo complexo, cheio de recursos. Quanto mais você conhecer seu corpo e entender as suas necessidades mas fácil será atingir resultados positivos.
Para produzir um ótimo desempenho do seu corpo você deve fornecer à ele a quantidade certa de calorias – dos tipos certos de alimentos.

Atenção para essas regras básicas que pode te ajudar na jornada:

  • Beba água suficiente. Você pode medir isso pela cor da sua urina. Para saber se a quantidade de água ingerida está suficiente, verifique a cor da urina. Deve estar bem clara e sem odor.
  • Coma alimentos mais próximos de sua fonte natural. Evite alimentos processados.
  • Coma alimentos densamente nutritivos que forneçam ao corpo bastante combustível de qualidade. Assim você naturalmente come menos.
  • Planeje-se com antecedência. Localize restaurantes saudáveis. Faça a “preparação dos alimentos”no domingo para garantir uma semana saudável.
  • Saboreie sua comida. Use especiarias e ervas para tornar as refeições agradáveis e sustentáveis.

MUDANDO O HÁBITO

Hábito é muito difícil de mudar, principalmente hábitos alimentares. Há quem diga que é mais fácil mudar de religião do que a forma como você se alimenta. Mas é possível!

No começo demanda mais esforço, atenção, mas com a estratégia certa você chega lá.

Para entender o poder do hábito eu gosto de usar uma analogia.

Imagina uma mata fechada, que você precisa atravessar para chegar à uma linda cachoeira. Nas primeiras vezes o acesso é bem difícil. Você tem que usar um facão pra abrir o caminho, cortar o mato, a roupa enrosca nos galhos, você cai, tropeça… Enfim, é difícil.

Mas com o tempo, conforme você for passando naquela trilha, a trilha vai ficando mais fácil, o mato já vai ficando pisado e, em pouco tempo,  o chão fica batido, mais plano. A trilha se transforma em um caminho conhecido e de fácil acesso.

Assim acontece também com os nossos neurônios.

A primeira vez que fazemos algo, precisamos estabelecer uma conexão neural para aquele ato, e demanda energia do cérebro para isso.

Conforme vamos repetindo aquele ato inúmeras vezes, criam-se redes neurais fortes que fazem com que aquele ato se transforem em hábito, ou seja, uma ação automática.

É o que queremos no âmbito da alimentação. Então para começar precisamos ter atenção em dois pontos:

  1. Evite percorrer as trilhas antigas, ou seja, vá cortando, aos poucos, os antigos hábitos alimentares destrutivos que não queremos mais e,
  2. Abra uma nova trilha, criando pequenos novos hábitos alimentares construtivos que vão fazer parte da sua nova vida!

O PODER DOS RITUAIS


Uma boa forma de iniciar novos hábitos é implementando os rituais matinais na sua rotina.

Você precisa conhecer a força e o poder dos rituais matinais, precisa experimentar!

A implementação dos rituais vai trazer mais presença e centramento para você na sua rotina diária, o que vai refletir diretamente na forma como você se sente e como você se alimenta.

Os rituais podem ser considerados como uma estratégia para firmar seu propósito durante o dia e na vida.

O ritual para cada um é individual. Faça o seu acontecer da forma que funcione para você.

Um livro que pode te ajudar a se inspirar e criar um ritual transformador é “O milagre da manhã“, de Hal Elrod.

Espero que esse artigo tenha feita alguma diferença na sua vida.

Um abraço

Julia Murça

 

Bibliografia indicada

  • O Milagre da Manhã, Hal Elrod.
  • O Poder do Hábito, Charles Duhigg.
  • Desperte seu gigante interior, Antony Robbins

 

Comentários