Segredos para cultivar uma vida feliz e plena

Escrito por Julia Murça

10 de agosto de 2020

Você tem a sensação de que o mundo está se tornando um lugar muito ruim para viver?

Pensando em tudo o que a gente ouve dia após dia nos noticiários, não parece mesmo que estamos indo de mal a pior?

É um desafio cultivar qualidade de vida estando conectados a tantas notícias ruins e informações negativas.

Mas hoje quero falar com você sobre esperança!

Escrevi este texto justamente para compartilhar outra perspectiva sobre o mundo e sobre a vida.

Existem muitos motivos para acreditar e para querer viver com longevidade e saúde.

Venha comigo nesta leitura para entender melhor!

 

O mundo está melhor ou pior?

A mídia comum usa ferramentas para nos prender com notícias ruins. Nosso sistema límbico direciona a nossa atenção às notícias sobre caos político, crises econômicas, violência e tragédias. Esse sistema é acionado para nos proteger, ou seja, para garantir a nossa sobrevivência. Ele é usado há milhares de anos para a defesa de perigos reais, como tigres, enchentes ou secas, mas hoje é utilizado pela mídia para ganhar audiência e imprimir o medo no ser humano – uma forma clara de controle.

Aqui sugiro uma ação prática que você pode tomar hoje mesmo para melhorar a sua saúde: parar de assistir ao show de horrores dos noticiários televisivos. Em vez disso, busque sites de informações confiáveis e não alarmistas, fora do senso comum, nos quais você pode ler e se atualizar sobre as notícias do mundo sem se contaminar com o correio da má notícia.

Apesar de a mídia fazer parecer que o mundo nunca esteve pior, eu acredito – e pesquisas comprovam isso – que ele nunca foi tão bom de se viver como agora. Nunca vivemos tanto e tão bem antes!

Atualmente há menos fome, pobreza e doenças incontroláveis, como as pestes e catástrofes naturais. Em 1960, 4.500 pessoas morriam de fome por dia, já em 2010 esse número caiu para 74 por dia – uma enorme diferença. Em 1900, 2 bilhões de pessoas viviam em estado de extrema pobreza, com menos de 1 dólar por dia, já em 2019 esse número foi reduzido para 600 milhões de pessoas. De 2000 para 2012, houve decréscimo de 16% na quantidade de homicídios no mundo.

Estamos longe de ter um mundo perfeito, mas estamos, sim, caminhando e evoluindo a cada dia. Hoje contamos com inúmeras possibilidades tecnológicas com geração de energia limpa, uma vida mais confortável, avanços na medicina que salvam inúmeras vidas, além de acesso à informação de forma irrestrita, permitindo que todos possam ter o conhecimento de como viver melhor.

 

Estamos vivendo mais, mas podemos viver melhor!

Outro ponto importante é a nossa longevidade. Em 1910, o ser humano vivia em média até os 31 anos. Ou seja, não havia tempo para crescer e evoluir. Eu só comecei a viver mesmo depois dos 30. Já em 2019 a expectativa de vida era de 76 anos, mais que o dobro. Isso significa que agora temos mais tempo para crescer, evoluir e desfrutar as nossas conquistas ao longo da vida, assim como para aprender a amar e cultivar as nossas relações – nossos verdadeiros tesouros.

Por outro lado, a velhice sem saúde é um tormento real para a pessoa e para os parentes que se veem obrigados a cuidar dos idosos incapacitados. Isso não precisa ser assim. A nova ciência da longevidade mostra que é totalmente possível viver bem, com saúde, felicidade e vigor, até os últimos dias de vida. E o que precisa ser feito é plantar a semente hoje, aqui, no presente. A longevidade com saúde é um projeto de longo prazo que merece toda a nossa atenção.

Existe uma grave confusão na atualidade entre envelhecer em si e os sintomas e problemas de saúde atrelados ao envelhecimento de uma vida na qual não houve o cultivo da saúde desde cedo.

De fato, após os 30 anos, acontece um declínio na nossa produção de hormônios que refletem uma saúde vigorosa e que permitem que uma alimentação inadequada, falta de atividade física e noites sem dormir passem despercebidas. O corpo, que antes tolerava tudo isso sem reclamar, começa a cobrar o preço demonstrando sintomas desagradáveis e incômodos que nos alertam de que algo não está bom.

Existem soluções práticas para impossibilitar a decaída da saúde com o envelhecimento. Existe um caminho para evitar a perda da beleza, do vigor, da capacidade cognitiva, da capacidade de ser útil, o declínio da libido e afastar a solidão.

Muita gente acredita que, para ser ter saúde ou recuperá-la, é preciso uma transformação radical. Na verdade, a experiência mostra que são pequenas e simples ações diárias que geram grandes resultados e ganham o jogo.

Estudos da ciência da longevidade afirmam que, independentemente da idade, é possível reverter o envelhecimento e reativar a imunidade e a produção natural de hormônios, fortalecer músculos e ter brilho na pele e no olhar, além de vivacidade para o cérebro.

Leia mais sobre este assunto [aqui]

 

As causas de sofrimento e morte são em sua maioria evitáveis por nós.

A maioria das pessoas que chegam aos 40 anos começa a fazer uso de medicamentos para tratar sintomas de doenças que surgem e se instalam, como as doenças crônicas. Isso acontece porque de fato o corpo, quando vai envelhecendo, não tolera tudo que tolerava antes, tornando-se mais sensível e seletivo. É hora de cuidar!

A proliferação de farmácias e o aumento absurdo de doenças crônicas, como a obesidade, doenças cardíacas e diabetes, mostram que estamos no caminho errado.

A Lancet, conceituada revista médica livre de patrocínio industrial, afirma que, de cinco mortes no Brasil, uma acontece em razão de más escolhas alimentares. Ou seja, é simples, a escolha está em nossas mãos e isso nos dá poder. A maior causa de morte hoje no mundo não são mais os assassinatos, homicídios ou guerras, mas sim as doenças crônicas cultivadas por muitos anos.

 

O que está em nossas mãos?

Estamos entrando numa fase luminosa na qual nossa expectativa de vida pode até dobrar se fizermos as escolhas certas no tempo certo.

Por isso é preciso ter em mente os pilares para uma vida saudável. Basicamente, você precisa prestar atenção aos seguintes pontos para ter saúde e felicidade:

  • Fortaleça o sistema imune com alimentos construtivos, evite alimentos destrutivos e faça uso de suplementos;
  • Ressignifique o conceito de alimentação saudável, saindo da crença de que se alimentar saudavelmente é necessariamente desprazeroso, e invista parte do seu tempo para conhecer e se nutrir de forma adequada;
  • Ajude na limpeza do organismo e na produção dos hormônios vitais com a prática de atividade física de modo regular e não prolongado;
  • Proteja seu cérebro da ação do tempo, assim como sua visão e audição;
  • Localize e elimine as causas das doenças crônicas;
  • Alimente a sua sanidade mental com meditação e contato com a natureza, ações que fazem enorme bem à nossa saúde e são comprovadas cientificamente;
  • Gerencie o estresse de maneira eficaz.

Mas, antes precisamos vencer alguns desafios:

  1. Nossa tendência em não pensar no amanhã e vivermos como se fossemos imortais. Trata-se de uma atitude egoísta e ingênua não se cuidar ao longo da vida e contar com a ajuda dos netos, filhos e amigos quando a doença cobrar o preço da negligência.
  2. Informações desencontradas, confusas e contraditórias sobre o que faz bem e o que faz mal. Atenção para pesquisas e informações que venham das duas grandes indústrias parceiras: alimentícia e farmacêutica.
  3. Mais um desafio é a falta de conhecimento do que é real e do que é mito. A maioria das pessoas se baseia em um conhecimento fraco e sem alicerce, como uma casa de palha. Esse tipo de conhecimento errado leva a uma direção contrária da saúde, de encontro à doença.

O caminho é pensar na saúde como um projeto de longo prazo e cuidar hoje para colher amanhã. Quando for procurar informação sobre alimentação, busque uma fonte confiável, ou seja, pesquisas independentes ou curadores que se baseiam nesses tipos de pesquisas para informar com clareza e livre de interesses escusos.

O fato é que, quanto mais sintética for a sua alimentação, ou seja, baseada em alimentos processados ou ultraprocessados advindos da indústria, mais você será um cliente fiel da indústria parceira, a farmacêutica, que se ocupa em desenvolver medicamentos que apenas aliviam os sintomas causados pela alimentação destrutiva industrial.

 

Desenvolva consciência sobre o que você consome.

A indústria oferece e vende produtos cheios de açúcar, gorduras sintéticas, corantes e pesticidas disfarçados de saudáveis pelo marketing, quando, na verdade, atrapalham o equilíbrio do organismo e se acumulam com o tempo. O consumo recorrente de produtos industriais cria condições para o surgimento de doenças crônicas que devastam a saúde e criam dependência de remédios e de ajuda constante.

O uso de medicações que aliviam os sintomas causados pela alimentação inadequada ainda piora a situação, pois, em vez de agirem na causa, minimizam os sintomas e disfarçam a raiz do problema, que continua crescendo e se desenvolvendo silenciosamente, gerando mais compradores fiéis da indústria farmacêutica.

É interessante para ambas as indústrias amigas que os alimentos produzidos por uma enfraqueçam, viciem e intoxiquem o corpo e que os medicamentos produzidos pela outra apenas tragam alívio temporário aos sintomas.

Uma gordura altamente inflamatória, como a margarina, tem o selo “Aprovado pelos cardiologistas”, mas estudos mostram que a gordura multiprocessada e sintética, como é o caso da margarina, é um agente de inflamação crônica no corpo que leva a doenças do coração. É uma triste realidade, mas melhor saber da verdade mais feia do que se alimentar de uma mentira bonita.

 

Concluindo…

Em resumo, proteja sua mente e consuma informações seguras, realistas e não alarmistas. Busque encontrar o lado bom em tudo que acontece em sua vida!

E melhor ainda, seja alguém que compartilha boas novas! As pessoas ao seu redor também precisam ser envolvidas por essa consciência positiva.

Cuide de sua saúde para viver mais e com qualidade!

Para mim, o aprendizado sobre como se nutrir e como cultivar saúde deveria ser disciplina obrigatória nas escolas. Alimentação é a matéria-prima da saúde, e a saúde é a matéria-prima do ser humano de sucesso.

Quando você conhece o que são mitos e concepções erradas sobre nutrição, você tem liberdade para fazer as melhores escolhas.

“FAÇA DO SEU ALIMENTO O SEU REMÉDIO” – Hipócrates, pai da medicina. O alimento é muito mais do que uma distração para seu paladar ou um conforto para as emoções. O caminho para encontrar a saúde verdadeira não é fácil, mas é altamente recompensador.

E claro que você economiza tempo nesta jornada quando encontra um mentor ou mentora que já estudou isso de forma profunda, viveu essa transformação e organizou o conteúdo para você de um jeito claro e prática.

Você pode sempre contar comigo!

 

 

 

Comentários