Alimentos saudáveis: é caro comer bem?

Escrito por Julia Murça

02 de novembro de 2018

Para responder a essa pergunta, é preciso questionar o que é comer bem para você. Qual é o seu conceito de alimentos saudáveis? Eu sei que todos os dias somos bombardeados com novos padrões alimentares que afetam o estilo de vida de pessoas do mundo todo. Tem sempre a nova dieta do verão, onde normalmente um ingrediente é alçado ao posto de vilão e um outro de milagreiro. Mas comer bem não significa isso, estou falando sobre priorizar a sua saúde e prestar muita atenção no que você ingere.

Sem dúvida, esses modismos todos, de inúmeras dietas, fazem com que alguns produtos custem mais caro do que outros, mas a infinidade de alimentos saudáveis abre um leque de opções para os mais variados gostos e bolsos. Enquanto alguns alimentos saudáveis são inflacionados no supermercado cada vez que uma celebridade os elege hit do momento, nas feiras dos produtores locais, eles seguem acessíveis e ainda contribuem efetivamente para a sua saúde e qualidade de vida. Eu vou explicar o porquê.

Mas afinal, é caro comer bem?

Se você for a qualquer supermercado, uma barrinha de cereal é bem mais barata do que uma barrinha de amêndoas com chocolate caseira, não é mesmo? (clique aqui e eu te passo a receita). Isso acontece porque uma máquina trabalha em série, então, obviamente, será mais barato do que o produto realizado com todo carinho, em que a pessoa pensa em cada ingrediente, assa, embala e leva até você ou até feiras orgânicas.

Mas o que precisa ficar muito claro é que a comida saudável tem realmente um valor diferenciado se comparado ao da máquina, e nem estou me referindo a parte financeira. Estou falando de alimentos saudáveis, produzidos realmente pensando no seu bem-estar e na sua qualidade de vida. A máquina não pensa em você, mas quem produz aquele maravilhoso pão de banana da terra, pensa.

E por falar em alimentos saudáveis, você já parou para pensar que a afirmação de que “orgânico é mais caro” encobre fatores que afetam – e muito –  na precificação? Pense comigo: A produção de alimentos com agrotóxicos responde a um modelo econômico em que a agricultura é subordinada à indústria, de maneira que os agricultores forneçam matéria-prima para que a indústria produza alimentos processados. Esses venenos utilizados acabam por serem vendidos mais baratos à indústria que, por sua vez, consegue vender em série e por um preço mais barato, mas de maneira nada, nada saudável.

Dessa maneira, os produtores que procuram garantir autonomia longe desse modelo de negócio, utilizam a agricultura orgânica e sem agrotóxicos, o que impacta diretamente no tempo de cultivo (mais demorado) e na qualidade do alimento (infinitamente mais saudável), interferindo no preço final.

Mas é muito importante destacar que estou falando de um preço final do supermercado, onde comprar alimentos saudáveis é mais caro do que o industrializado. Isso não se aplica a vendas diretas, feiras e grupos de consumo, onde os valores são menores do que os que envolvem cadeias longas de comércio. Dessa maneira, é muito possível pagar mais barato por alimentos que valem a pena e que garantam uma vida com mais saúde e bem-estar. Pode acreditar e vá procurar a feira de produtores locais mais próxima de você!

Alimentos saudáveis são gostosos?

Com relação a achar gostoso, é importante ter ciência de que os industrializados utilizam misturas de gordura, sal e açúcar para que tenham maior aceitação pelo paladar,  distante do que chamamos de alimentos saudáveis. E não se engane pelo rótulo onde você lê  “zero gordura trans” ou “néctar de fruta”, porque esses termos estão longe de significarem “bom para a saúde”, pois, além de fazerem mal, o sabor é completamente adulterado apenas para te “enganar”.

O que eu quero dizer com tudo isso é que os seus hábitos fazem você comer mal e não o preço dos alimentos, porque você também gasta com produtos que prejudicam a saúde. Hoje, temos alternativas simples, práticas e naturais que te ajudam a mudar de hábito e que são saborosas.

O que você precisa é considerar a sua saúde como prioridade, entendendo que a alimentação impacta diretamente na sua qualidade de vida. E é fato: você tem o  poder de decidir o que comer, não é mesmo? Lembre-se de uma coisa muito importante: uma hora ou outra você precisará de dinheiro para cuidar da sua saúde, a questão é saber se você prefere gastar com remédios ou investir em alimentos saudáveis.

Alimentos saudáveis e econômicos

Suco de couve com laranja? Suco de abacaxi com gengibre? Sanduíche com cenoura ralada? Bolo de laranja? Waffle de grão de bico? Sim, são deliciosos! E ainda são feitos com alimentos que não são novidade e podem ser encontrados na feira ou em qualquer supermercado por preços em conta. Sem contar as diversas possibilidades de frutas, verduras e legumes que rendem infinitas receitas.

Quer um exemplo mais prático? Em vez de tomar café da manhã na rua por conta da pressa, escolha receitas que você possa fazer em casa com alimentos saudáveis. Vá a feira e abasteça a geladeira. Você pode, por exemplo, comer uma fatia de pão integral e beber um shake caseiro composto de leite, banana, uma colher de aveia, mel e uma pitada de canela, batidos no liquidificador. Saboroso, prático e econômico!

Seguir as dietas de celebridades e comprar alimentos caros não vai garantir que você alcance o seu objetivo, tampouco tenha saúde. O que você precisa é explorar a infinidade de possibilidades dos ingredientes naturais e suas receitas deliciosas. Você pode usar até cascas de frutas e legumes para fazer um prato saboroso e rico de nutrientes. Isso está longe de ser considerado caro, não é mesmo?

Quer saber mais sobre alimentos saudáveis? Acompanhe o meu site e as redes sociais. Além de informações, você também pode aprender diversas receitas e receber várias dicas para ter mais qualidade de vida e bem-estar!

 

Até a próxima!

Abraços

Julia Murça

 

Comentários